terça-feira, 20 de dezembro de 2011


Arte de: Franz Kline


Não seriam inexatas as estrelas
se meus olhos fossem
máquinas de encurtar distâncias
quem diria
são o contrário
empilhadeiras de desertos
seus grãos em navios asiáticos
rabiscando rotas exatas
em minha cartografia torta.

Me acostumei a trocar de endereço
para aumentar o preço dos selos das cartas
quanto mais caros
mais vivas as cores

Mas meu desejo sempre foi
talvez por causa do medo
viver em apartamentos de um quarto
cozinha-sala e banheiro
tudo perto
sem porta dos fundos
cheio de aquarelas.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Auscultações


Arte de Miquel Barceló



Não deixei de te procurar
nas esquinas das molduras
descosturo feridas dos afrescos romanos
removo as camadas de tinta
como quem esculpe a cutícula
antigo lagarto verde ao sol

Se por acaso ignorei o interior dos ovos
é porque dentro encontraria a nação chinesa
e seus bilhões de raios de sol roubados
reclinaria cego e sem sucesso
talvez escutasse música

Também vasculho dentro dela
nos meios-tons, nas viradas de bordo abruptas
trovoadas de tonalidades
transbordamos dentro do silêncio
deixando o vento inflamar a espera
e antecipar todos os pombos-correio.

Se não pudermos lidar com o esquecimento
que nossos filhos nos esqueçam
canoas abandonadas à terceira margem
mercenários da legião estrangeira
dentaduras duras do tempo

ou quem sabe
pêssegos e romãs
despencando
cordilheira acima.