quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Carta: Rei de ouro


Arte de Joan Mitchel


Eu pouco lembro das tuas roupas
tuas ideias
teu cheiro secando no varal
no qual eu me penduro
ponta cabeça

diversos atrasos
reuniões adiadas
e natais na primavera
é esse o tempo do teu corpo
reclinado em meu estômago

agora me deito
nesta rede que balança o que não tive
fico varrendo o pó dos discos
com as cerdas do teu bigode
o cobertor mais quente da minha pele

passamos os dois deitados
no tapete ao sol
conversando pelas bocas
de Bethânia e de Roberto
as conversas que dizem
ao tempo e ao espaço
que eles não habitam
a nossa casa.



Nenhum comentário: