quinta-feira, 23 de junho de 2011


Arte de Robert Rauschenberg.

Lorenzo Ganzo Galarça


Como dois pássaros
que se procuram e se beijam
durante o ballet aéreo

Eu te procuro dentro de mim,
fugitiva.

A colheita foi abandonada
e o continente esquecido

Mas a terra também vasculha
dentro dos ossos.

Todos os portos foram partidos.
Na estação, o trem afastou-se dos trilhos
para amanhecer o inverno.

Permanece o movimento suspenso.
Suspeito como um pássaro migrando sem rumo.
Evidente como um criminoso.

Todas as distâncias reduzidas
ao passo mínimo.

Passado ao presente.

3 comentários:

Lívia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lívia disse...

"Eu te procuro dentro de mim,
fugitiva."

Felipe Faverani disse...

Belo poema. Parabéns pela habilidade com as palavras.