segunda-feira, 18 de abril de 2011

Plaza España de Sevilla


Fotografia de Luísa Hervé

Lorenzo Ganzo Galarça

É um olho que vê
e outro que lágrima.

É um pé que caminha
e outro que fica.

Somos sempre duas nessa cidade.

Meu choro;
teu rio.

Meu soluço;
tua garganta em avenidas.

Isso de pertencer ao que não somos
por avesso.

Isso de somente estar presente
na vertigem do corpo.

A falta aguda
de uma esquina reta.

Teu mapa cicatrizado na pele
orienta-me pelo sangue.

Nenhum comentário: