quinta-feira, 9 de dezembro de 2010


Arte de Giuseppe Abbati

Lorenzo Ganzo Galarça


Na consciência do mundo grande,
carrego uma Itália torta. Ponta cabeça.

Uma Itália fragmentada ainda.
Sem papas, sem Emmanuel II, sem Michelangelo,
sem Mussolini, sem nada.

Uma Itália corcunda. Despenteada.
Uma Piemonte arrasada pela neve.
Uma Veneza de submersos violinos.
A Itália de minha ausência.

A Itália que me toma o sono nas vozes de suas sopranos.
Não a Itália de Anita Ekberg e Mastroianni.
Tão pouco a Itália de Calvino e Pavese
A Itália que estravia documentos.
Que me faz estrangeiro em meu corpo.

A Itália que me faz ilha boiando no Mediterrâneo
à espera de sua derrocada.

Nenhum comentário: