segunda-feira, 12 de julho de 2010


Arte de: Robert Rauschenberg

Lorenzo Ganzo Galarça

Os filhos tentaram vender a casa
na repartição dos amores.
Divorciar a paternidade do telhado.

Os tijolos como lágrimas em aquarela.
As paredes da sala tal claustrofóbico útero.
Os corredores alongando-se em pista de pouso.

Empilhar as memórias,
Arrancar as raízes dos quadros,
Secar a umidade do sótão com o calor dos olhos.

O silêncio da rua
ecoando no quintal da pele.

Na hora da escritura,
faltou tinta na caneta.

A casa permaneceu
protegida pela lei
do matrimônio histórico.

2 comentários:

Maurício Levy disse...

sensacional!

Luciane disse...

Muito legal, adoro arte e poesia, juntas então...