terça-feira, 18 de maio de 2010


Arte de: Edward Hopper

[Eu bato o portão sem fazer alarde,
Eu pego a carteira de identidade,
Uma saideira, muita saudade,
E a leve impressão de que já vou tarde.]
Chico Buarque
Deixo a louça sobre a mesa.
Nossos nomes escritos na fome.
Os talheres excomungados do jantar.

Atravesso o corredor descalço dos teus pés.
Tua camisa roubou o colorido das paredes.

A casa escurece em luto.
A música esquiva-se dos ouvidos.
O lençol não cobre o corpo.

Nada penetra na alma
de uma pessoa vazia.

Separação é quando nos fornecemos abrigo
ao voltarmos do outro.
Lorenzo Ganzo Galarça

Um comentário:

Cínthya Verri disse...

Ai que lindo,
de doer, é claro.
Te amo.