segunda-feira, 26 de abril de 2010

Entre Tudo


Arte de: Hélio Oiticica

Lorenzo Ganzo Galarca



Entre a palavra e a linguagem.
Entre o grito e o suspiro.
Entre o olhar e a paisagem.
Entre a mãe e seus filhos.
Entre o teu sorriso e o meu choro.
Entre a chegada e a saída.


Entre, meu amor.
Não tenha medo.

Acho que ainda não me acostumei
com o espaço das coisas.

domingo, 25 de abril de 2010


Arte de: Vincent van Gogh

Lorenzo Ganzo Galarça


Com o meu espírito de cavalo jovem
atravessei à galope as tempestades da casa.
Escovava a crina no vento dos corredores.

Tentaram me prender sob os lençóis.
Acalmar meu ímpeto vermelho.
Pode-se acorrentar o corpo; os olhos, nunca.

Trancava as pálpebras,
escondia o suor debaixo dos sonhos.
Encontrei, mais tarde,
a porta de braços abertos.
O sussurro da terra.

Guardo uma coxilha dentro de meus ossos.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Interiores


Arte de: Basquiat

Lorenzo Ganzo Galarça



Os galhos da casa
arranharam as costas da infância.

Cicatrizei jantares,
recolhi memórias,
espantei assoalhos.

Vivi anos escondido dentro
dos furos dos tijolos.

Meus ouvidos
escutando apenas
o que ficava entre o vão das portas.