quarta-feira, 31 de março de 2010

Em obras


Arte de: Antoni Tàpies

Lorenzo Ganzo Galarça

Estou refazendo o caminho dos furos.
Trilhando o concreto de minhas veias,
Velhas como a tinta da parede.

Meu coração agora no ritmo das marteladas.
Uma cavalaria em retirada.
Tambores negros nas mãos de um pedreiro.

Marcha fúnebre deveria ser um canteiro de obras.
E logo a cena muda-se para o berçário.
Toda partida é também um parto.

Parede partida pintada de suor de preto.
As pedras agora mais depressa.
Pinto-me de escuro e adormeço o mundo inteiro.

Toda casa é mãe de um desabrigo.
Toda construção nasce da desconstrução.

Engenheiro civil é a pós-graduação da parteira.

Um comentário:

christiane disse...

Ver tuas pernas passeando por entre o corrimão do andar de cima me informa que tens um tempo próprio.Aprendo a aguardar que tragas as notícias.