domingo, 1 de novembro de 2009

Quando Esqueço



Arte de: Renoir

Lorenzo Ganzo Galarça

Não sei mais o quanto te desejo.
Se é encanto o que encontro
Ou se é descontentamento.

Não acho justo vestir-me da tua pele.
Transpirar os teus sorrisos
E ser também tuas manias.

Ser o outro é impossível
Quando não sou homem para ser eu mesmo.
A paixão vira estratégia.

Não és uma atalho para a saída.
Uma janela redonda, ou um mesmo um trago forte.
És o recreio em minha boca.

Meu descanso.
Férias em outro continente.

2 comentários:

mari_mays disse...

Mas tchê! Que coisa linda, Lucho! parabéns! tão lindo ver tu aprimorar o teu 'trabalho'!

Beijo Querido!

Wania disse...

Lorenzo

Sempre é muito lindo vir aqui te ler!
Tens versos embalam...


Tava Saudade,

Bj grande pra ti,
Wania