sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Sinais


Arte de: Toulouse-Lautrec


Lorenzo Ganzo Galaraça

Fui te acordar pela manhã
Com o meu beijo quente de cobertor.
Com as minhas estrelas guardadas nos olhos.

Reviraste os ombros nus,
Os seios e os lábios.

Te ofereci minha companhia
E me retribuíste com tua solidão.
Com o teu silêncio de árvore.

Não tenho sequer chances
Contra teu próprio acompanhamento.

Mas me criaste dentro de ti.
Faço parte do teu silêncio exigente.
Do teu desespero comportado.

Reconheço a gratidão,
Deito-me sobre teu corpo,
E adormeço para conhecer-te.

domingo, 1 de novembro de 2009

Quando Esqueço



Arte de: Renoir

Lorenzo Ganzo Galarça

Não sei mais o quanto te desejo.
Se é encanto o que encontro
Ou se é descontentamento.

Não acho justo vestir-me da tua pele.
Transpirar os teus sorrisos
E ser também tuas manias.

Ser o outro é impossível
Quando não sou homem para ser eu mesmo.
A paixão vira estratégia.

Não és uma atalho para a saída.
Uma janela redonda, ou um mesmo um trago forte.
És o recreio em minha boca.

Meu descanso.
Férias em outro continente.