segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Não pergunte.


Arte de: Iberê Camargo


Lorenzo Ganzo Galarça

Não me perguntes
Em que gaveta
Ficam os talheres.

Não se prenda à imagem
De um mero convidado.
Invente-se. Transforme-se.

Se tivestes a coragem para romper
O solado da casa,
Encha-a com teu suspiro.

O despreparo é o abraço das palavras.

Mude as louças de lugar,
Esconda o copo dentro do armário,
A almofada atrás do braço.

Não me perguntes tanto os caminhos.

Logo estarás anotando
Os atalhos do corpo
Na ponta dos cílios.

5 comentários:

Tiger IV disse...

Acho q está chegando o momento de teres coragem... tuas poesias e prosas... pensamentos e ideações... estão te inclinando para outro lado... o teu sempre ser artista...
Beijo com amor... Airton Galarça

Juliete disse...

Oii!!!
Bah, mto lindo o texto, como sempre, claro.
Quanto anos tu tem mesmo? Só 16? Sério? Nossa, tu escreve tão bem.

bju =D

Eloisa disse...

Voce me fez alguem melhor. Apreciei teu blog, voltarei.
beijo,beijo.

e.guedes disse...

querido lorenzo, sempre adoro visitar os teus escritos. este poema é maravilha, é bem isso que eu penso, agora descubri, agorinha! beijo,amore, da eli

mariab disse...

a vida é imprevisível... ou não é vida.
gostei deste lugar. beijos