terça-feira, 14 de julho de 2009

Caixa Preta


Arte de: Robert Rauschenberg

Lorenzo Ganzo Galarça

Na prateleira, debaixo dos livros,
Guardo uma caixa de sapatos.

É um quarto dentro de meu quarto.
Um depósito de choros, gritos,
Risadas e dentes de leite.
E cartas. Muitas malditas cartas.

Demorei um ano inteiro para
Organizar o material.

Um ano para organizar
Uma eternidade.
Uma pequena caixa
Para caber o mundo.

Havia esquecido-me dela.
Traguei um susto quando a vi.

Agora, depois de
Tantas novas idéias,
Tantas novas palavras,
Tantos novos amores,

De que força me utilizo
Para resgatar minhas lembranças?

4 comentários:

Mariah Amorim disse...

Andei remexendo uma caixa dessas esses dias....

Obs.: Vc não consegue seguir meu blog??

Juliete Souza disse...

Oii!
Aii eu não gosto muito de remexer nessas caixas, às vezes elas tem algumas coisas que nos trazem umas lembranças não tão boas como na época do acontecido.

Obs.: Gosto muito do teu blog, e tbm já o estou. Também gosto muito da forma como tu escreve.

Lucho disse...

Hahaha!!

Que delícia.

Muito obrigado!!

Nádia Lopes disse...

Lucho, vim te visitar, gostei daqui...e um dia já tive minha caixa e sabe o que fiz, num ato de loucura? Fiz uma fogueira, embaixo de uma lua cheia, achei que o passado tinha virado uma pedra presa ao meu pé me puxando pra baixo...agora,sinto falta da minha caixa...não sou tão Phoenix como me imaginei diante daquelas cinzas... beijo