terça-feira, 2 de junho de 2009

Teus passos em mim


Arte de: Sigmar Polke
Lorenzo Ganzo Galarça

Confundo as dobras das camisas
Com as pregas do teu vestido.
Minha bagunça é a tua beleza.

Sinto que não me fiz presente nesse investimento.
Arrisquei pouco. Protegi-me em excessos.
Dediquei escassos discursos aos teus cabelos.

Adentravas firme na calçada, enquanto um sabiá alimentava os filhos.
A incerteza do tempo reforça as casualidades.
Mesmo assim, sempre nasces no momento certo.
Apaixonante fidelidade com a sincronia.

És um rio correndo depressa montanha acima.
A gravidade do ato machuca Deus pelas costas.

3 comentários:

Maurício Levy disse...

queria conseguir escrever assim.

Jeane disse...

gente...guardei para eu ler sempre.

Lucho disse...

Queridões!!!