sexta-feira, 6 de março de 2009

Desde que seja verdadeiro.


Arte de: René Magritte
Lorenzo Ganzo Galarça

Não espalharei pétalas vermelhas sobre nossa cama.
Uma rosa não é verdadeira sem espinhos.
Não serei capaz de viver uma mentira debaixo dos lençóis.

Pobres de espírito os que nunca
Sangraram de Amor.
Intimidade tem espinhos.

A honestidade não vem delicada,
Aparando as pontas e
Se dobrando em gestos.

Na cama se compartilha a ferida.
A dor de um só
Povoa a alma do casal.

Não te prometo Morangos.
O que te ofereço são os ossos,
A pele. Os ouvidos atentos.

No Amor nada é dissecado.
De que servem as flores se não tiverem raízes
Para nascer novamente em teu corpo?

Talvez, a coisa mais delicada que se possa fazer
Seja se desnudar em essências.
Amassar uma folha para sentir o aroma.

Que o Amor não seja belo,
Mas que seja verdadeiro.

Um comentário: