quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Luz do Corredor


Arte de: Paul Klee

Lorenzo Ganzo Galarça

Fingia que dormia

Para ter um encontro à luz de velas com o sono.

Fingia que dormia

Para não me entregar tão facilmente a mim.

Fingia que dormia

Para sentir meu cheiro no travesseiro.

Fingia que dormia

Para acordar mais próximo.

Fingia que dormia

Para escutar o beijo de boa noite dos pais. Aquele que vem mesmo depois da ausência.

Fingia que dormia

Para correr o risco de não ser beijado.

Fingia que dormia

Para poder ser mais atento aos carinhos.

Fingia que dormia

Para estar cada vez mais acordado.

Finjo que durmo

Para poder me dar boa noite.

5 comentários:

Usuale disse...

Vento da paixão

Vento da paixão
leva daqui desilusão
me traga amor!
por favor vento
me livre da dor
de não poder mais amar
beijar...caminhar de mãos dadas
me tire da solidão

Autor: (Sandra Love)

Foi retirado pelo site:

http://www.ziipi.com/result?pesquisa=poesia+de+amor

Cínthya Verri disse...

que bem
tão bem
;)
embalo bom de ninar.

Mari disse...

Quando eu era pequena,
não dormia sem esse beijo.
Beijos de pais são os melhores soníferos...

Beijo antes de dormir

Eduardo Matzembacher Frizzo disse...

O Conrad diz lá n'O Coração das Trevas: "vivemos como sonhamos: sós." A ausência da solidão é o Marlon Brando na guerra do Vietnã. A única arte grupal é o cinema. Escrever não é fazer amor consigo mesmo e nem mesmo machucar o próprio corpo. Escrever é desprovido de sentido. O sentido de escrever é o escrever do sentido. Por isso gostei do seu texto. Um abraço.

pensar disse...

Q lindo!
Tao simples como o melhor da vida.
bjs