quinta-feira, 23 de outubro de 2008

E a fala conforta.


Foto: Deviantart.com

Constantemente buscamos o porto seguro na boca quente, dos outros.
A fala, quando bem-vinda, nos abraça e nos acolhe.
Ela é boa por natureza.
Correta para si.

Tem vida própria.
Não obedece a boca que a fala.
Ela é intrusa.
Nos flagra, nos desnuda.
Nos entrega.

Como tem de ser a vida.
De entrega.
Entregar-se é
Acolher o que há de pior em nós
Acolher tudo em nós.
Dar-se a vida.
De braços abertos, como o corredor que vence a corrida.

Dar-se a vida não quer dizer submeter-se.
Pelo contrario, quer dizer ser mais flexível,
Aceitar mais,
Olhar com mais atenção,
Ter amor aos fatos.


Lorenzo Ganzo Galarça

Nenhum comentário: