sexta-feira, 11 de julho de 2008

O medo

O medo

Meu eterno cuidador
Meu amigo valente
Salva-me de perigos
Mete-me em outros
Cuida da minha Alma.

O medo das relações lembra-me do cuidado
Da atenção com o amigo amado
Do meu carinho com o o mundo
Que também sou eu

O medo me exercita
Me deixa em movimento
Me atualiza do presente
Sussurra-me o instante

Me oferece a mão
Para então
Caminharmos pela estrada
Até que uma curva se apresente.

Lorenzo G.G.

Um comentário:

Cínthya Verri disse...

Amantíssimo,
beijos meus pra ti.
Vamos com o medo
e com a coragem
que não são auto-excludentes.