domingo, 29 de junho de 2008

Vazio

O mundo debruça-se contra o meu ombro
A gravidade me suga
E o ar vai embora

As narinas se cobrem
Os ouvidos descansam
E os olhos se fecham

O universo escurece
E o frio se expande
As estrelas se apagam
Enquanto a lua dorme

O nada me colore
O vazio me preenche
E o tudo me descobre

Nu, como a própria alma
Passeio em mim
Procurando
conforto
Na natureza de existir.


Lorenzo G.G.

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Plantinha Nossa

Serzinho...
Calma serzinho...
Tua hora vai chegar
Nem antes nem depois
Só vai chegar
Agora é esperar
Esperar o vento forte passar e soprar
Prá alma nova
Então...
Brotar e germinar


Lorenzo G.G.

quarta-feira, 11 de junho de 2008

O Balanço

Na minha rua, tem uma praça
Na praça tem um balanço
E no balanço tem uma criança
Que voa aos céus e volta ao solo
Num movimento repetitivo
A criança se inclina para frente e depois para trás
A criança ora é menino, ora é menina
Ora alegre, ora triste
Sempre
Subindo e descendo
Às vezes, quando chega no seu ponto mais alto, pula
Pula e cai ereta no chão para pensar
Para pensar se queria estar subindo ou descendo.
E e então a criança sorri
E me vejo refletido em seus olhos


Lorenzo G.G.