sábado, 31 de maio de 2008

Poema Largado

Me encontrei tanto
Que quero me perder
Quero experimentar o outro lado
Travestir-me de culpado
Quero escrever no escuro
Sem versinhos estúpidos
Quero a dor do que é viver
Quero a angústia do instante
O descompasso do tempo
Não quero certezas
Nem seguranças
Muito menos guarda costas
Quero estar sujeito a qualquer ameaça
dessa intitulada amiga, vida.
Dou o corpo ao acaso
Com o desprezo do que é são
Quero lançar-me sem resultados
Não quero início, nem fim
Quero é o meio
Quero pela metade
Mas isso não é querer
É medo de viver
E tão logo morrer.



Lorenzo G.G.

domingo, 25 de maio de 2008

Corpo Nú

Doce céu e lua cobrem de um veludo escuro
o corpo nú adormecido sobre a cama.

Seu cabelo moreno esconde em parte
seu enigmático rosto.

Seu seio é apalpado pela noite
e seu sexo, violado pelo luar.

As curvas de seus braços e pernas
pintam palavras suaves pelos ares.

Seu corpo é musica, cantada por anjos
apaixonados.

Sua respiração é educada e simples.

Ela está bem.
Está serena como a lua,
Livre como as gaivotas e
linda como um Deus.


Lorenzo G.G.

Meu Canto Do Mundo

Vem chegando bem devagarzinho
um navio em Porto Alegre.
Impressionante como a cidade abraça esse rio Guaíba.

Sua barra faz carinho nas águas que, em ondas, levam frequências altíssimas de Amor para o mundo.

Na cidade da alegria, a catedral se anuncia, com sua nova cúpula de bronze.
O Gasômetro também.
Quase que no finzinho dessa minha vista amada.

Nesse porto de Amor tudo se anuncia e se inaugura.O tempo todo.

Caminhar pela movimentada Borges é musica.
Musica de gente.
Conversas, gritos, cantadas, assobios, fungadas e prosas.
Compõem a mais bela sinfonia da capital gaúcha.

Escalar a Andradas em um louco entrevero de pessoas é poesia...
E quanta poesia!

O palácio e o São Pedro pintam imagens de um ZH na manhã de 28 de Maio de 1968.
Imagens de uma revolução.
Imagens de um propósito.
Imagens de Coragem.

Por isso gosto tanto das pombas da praça da Matriz.
Lembram-me que sou livre.

Concerteza Porto Alegre me tem.
Concerteza Porto Alegre me faz.
Me faz gente.
País e continente.

Porto Alegre me aceita e eu aceito ser porto
Para o alegre.


Lorenzo G.G.

domingo, 11 de maio de 2008

Encotro Único

Quinze anos atrás tive um encontro maravilhoso.
Um encontro com uma mulher que, em lágrimas, me regava com Amor.
Segurava-me no colo e não pedia nada mais.
Apenas aquele momento
Sabia que nem o tempo importava mais
Pois estava ali
Estava ali se conscientizando de sua presença em minha vida
Via em seus braços a prova mais clara de que nós estamos em todos e em tudo
A prova mais clara da existência

Ambos crescemos juntos, Mãe e filho e vice-versa
Aprendendo a nos amar e respeitar

Hoje somos isso!
Escrevemos nossas vidas
Para algum dia...
Termos histórias para contar


Lorenzo G.G.

PS:Eu te amo profundamente querida amiga!

sábado, 10 de maio de 2008

Aqui e agora

Se vou falar da Chuva
Não pode ser sobre chuva de ontem
Nem a de amanhã
Tem que ser a de agora
Que também já foi embora

Eu preciso do momento
Do aqui e agora
Nem o passado nem o presente me saciam
Preciso desse quentinho


Lorenzo G.G.